Procurar
Close this search box.

Cabazes de Natal 2023 | Natal Solidário em Campolide

COMO O ESPÍRITO DA FAMÍLIA DA JUNTA DE FREGUESIA DE
CAMPOLIDE É NÃO DEIXAR NINGUÉM PARA TRÁS, A CHEGADA DA
ÉPOCA NATALÍCIA TROUXE CONSIGO MAIS UMA EDIÇÃO DOS CABAZES
DE NATAL. COM DEDICAÇÃO, EMPENHO E SOLIDARIEDADE, MARCOU-SE
PRESENÇA PARA O QUE NATAL NÃO FALTASSE A QUEM MAIS PRECISA.

A INICIATIVA

Entre os dias 18 e 22 de dezembro, o Palácio Laguares
entrou numa enorme azáfama para levar a cabo a preparação e distribuição dos Cabazes de Natal para entrega às famílias mais fragilizadas da freguesia. Este ano, à semelhança dos anteriores, vários voluntários
dedicaram-se incansavelmente a esta ação de solidariedade social que já decorre desde 2010 e cujo objetivo é ajudar os moradores carenciados a terem um bocadinho mais de conforto numa altura tão especial e que pede comunhão, solidariedade e presença.

Compostos por vários bens alimentares, assim como por artigos de higiene pessoal ou para o lar, os cabazes oferecidos pela Junta de Freguesia reforçaram a despensa de várias famílias, num esforço coletivo para ajudar quem mais precisa. Segundo as palavras de Miguel Belo Marques, “Esta é uma iniciativa que, infelizmente, nós sentimos necessidade de fazer porque ainda temos muitas pessoas carenciadas e com necessidades na freguesia. O nosso objetivo é que essas pessoas possam ter um pouco mais de conforto nesta época específica. Durante os 365 dias do ano temos várias respostas sociais, mas achamos que se justifica, numa fase tão singular como esta, termos também uma resposta especial e conseguirmos que essas pessoas tenham uma ceia de Natal com um pouco mais de conforto”.

OS VOLUNTÁRIOS

A iniciativa contou com a dedicação de vários voluntários empenhados dos departamentos da Junta de Freguesia, que todos os anos se juntam para levar a cabo esta importante tarefa. Esta edição contou também com ajuda de voluntários do Hotel SANA Malhoa, que pertence à cadeia SANA Hotels. Nas palavras de Ana Isabel Pereira, colaboradora do hotel: “Foi com muito boa disposição e vontade que aceitámos este desafio de vir participar enquanto voluntários. Achamos que é importante poder contribuir de alguma forma para ajudar quem mais necessita”. Miguel Belo Marques expressa também o seu orgulho no trabalho que as equipas da Junta de Freguesia conseguiram desenvolver. Os dias começavam cedo e as filas à porta do Palácio Laguares, na Rua Professor Sousa da Câmara, também. Lá dentro, numa mesa comprida a fazer de bancada, os voluntários entregavam dois sacos bem carregados a cada morador inscrito enquanto os agradecimentos se multiplicavam. Para lá da bancada, na sala ao lado, vários voluntários entreajudavam-se na organização e separação de produtos, assim como posterior preparação e composição dos cabazes.

OS POSTAIS

Este ano, tal como em edições anteriores, os cabazes
contaram com uma mensagem de esperança muito especial
criada pelas crianças de Campolide. Em resposta
ao desafio que lhes foi colocado, as crianças e jovens das escolas da Freguesia – Escola Básica Mestre Querubim
Lapa, Externato de Educação Popular e Externato
do Parque – desenharam e decoraram vários postais
especiais. Cada um desses trabalhos foi colocado
dentro de um cabaz a ser entregue a cada família.

OS DOADORES

Os cabazes contaram com as simpáticas doações de várias empresas como a Unilever, a Sovena e o Lidl, e também a marca Licor Beirão. Mais uma vez, e em conformidade com prévias edições, a Junta de Freguesia de Campolide decidiu não investir nenhuma verba do seu orçamento em iluminações natalícias de rua, para que esse valor pudesse reverter a favor dos cabazes solidários. Desta forma, grande parte do restante conteúdo foi adquirido pela mesma, num gesto de apoio genuíno aos seus moradores mais necessitados, para que estes pudessem iluminar as suas consoadas. De referir ainda o auxílio da Tertúlia dos Antigos Estudantes de Coimbra em Lisboa, que se reúnem mensalmente num restaurante em Campolide e que este ano decidiram ajudar a compor os cabazes, contribuindo com inúmeros bens alimentares.

AS ENTREGAS

Para poder chegar aos moradores que têm dificuldade em se deslocar às instalações da Junta de Freguesia, uma equipa de distribuidores foi até aos vinte e seis domicílios sinalizados e levou a oferta aos Bairros do Tarujo, Bela Flor, Serafina e Liberdade. Entre agradecimentos, sorrisos e abraços hospitaleiros, várias foram as partilhas com os funcionários da Junta. Para a D. Filomena, esta iniciativa “significa muito, dá muito jeitinho para quem tem tantas despesas e reformas tão baixas”. Já a D. Maria de Lurdes agradece “a todos e, em especial, ao senhor presidente”. A D. Venância confirma- nos que é uma boa ajuda, porque tem o filho desempregado e a sua pensão vai praticamente toda para ele. A D. Georgete partilha ainda que “Dá muito jeito. Tenho 87 anos e ainda vou fazendo o meu comer e tratando da minha casa, por isso sempre dá um bocadinho para as coisas que eu faço”.

AS ENTREGAS

Para poder chegar aos moradores que têm dificuldade em se deslocar às instalações da Junta de Freguesia, uma equipa de distribuidores foi até aos vinte e seis domicílios sinalizados e levou a oferta aos Bairros do Tarujo, Bela Flor, Serafina e Liberdade. Entre agradecimentos, sorrisos e abraços hospitaleiros, várias foram as partilhas com os funcionários da Junta. Para a D. Filomena, esta iniciativa “significa muito, dá muito jeitinho para quem tem tantas despesas e reformas tão baixas”. Já a D. Maria de Lurdes agradece “a todos e, em especial, ao senhor presidente”. A D. Venância confirma- nos que é uma boa ajuda, porque tem o filho desempregado e a sua pensão vai praticamente toda para ele. A D. Georgete partilha ainda que “Dá muito jeito. Tenho 87 anos e ainda vou fazendo o meu comer e tratando da minha casa, por isso sempre dá um bocadinho para as coisas que eu faço”. No dia 24, de forma extraordinária, o Presidente da Junta de Freguesia, Miguel Belo Marques, acompanhado da vogal Cátia Costa e de Raquel Silva, Coordenadora do Departamento de Ação Social, também se deslocaram às 21.ª e 37.ª Esquadras da PSP, Campolide e Serafina, assim como às instalações da Polícia Municipal e ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Campo de Ourique para oferecer cabazes, num gesto de reconhecimento por todo o serviço prestado por estes organismos e agentes à população de Campolide.

O BALANÇO DA INICIATIVA

Este ano, o número de cabazes rondou praticamente os setecentos, sendo que cerca de duzentos e cinquenta foram destinados a agregados que recebem apoio alimentar de forma regular com as várias instituições que atuam na freguesia. Em conjunto com os restantes cabazes que foram entregues de forma pontual, a totalidade de ofertas foi semelhante à do ano anterior. Apesar da estabilização, o número de famílias em situação carenciada ainda é preocupante. Miguel Belo Marques identifica esta mesma apreensão: “O que nos deixaria, de facto, contentes, era que o número de cabazes fosse zero, porque era sinal de que ninguém necessitava. Infelizmente, não estamos nessa fase, portanto, dentro da tristeza ficamos satisfeitos por podermos estar aqui para as pessoas e sentirmos que ajudamos a que o Natal dessas famílias seja um pouco mais feliz”. De uma forma geral, “a iniciativa correu bem”, segundo Raquel Silva, Coordenadora do Departamento de Ação Social e a principal organizadora desta iniciativa solidária. Este ano, distintamente dos anos anteriores em que há sempre várias pessoas que se inscrevem mas acabam por não ir levantar os cabazes por vários motivos, essa situação não se verificou. “Acho que nunca nos tinha acontecido, não sobrarem cabazes”. Raquel partilha também que houve um decréscimo na quantidade de produtos de higiene, o que se tentou compensar com a parte alimentar. Fica o agradecimento a todos os envolvidos pelo excelente trabalho, espírito de equipa e comunhão que garantiram uma época natalícia muito mais digna a muitas famílias carenciadas. Será isto aquilo que é verdadeiramente encarnar e personificar o espírito de Natal. NC

Reportagens

Bem-Estar Animal | DIA MUNDIAL DO ANIMAL CELEBRANDO A VIDA SELVAGEM

O CENTRO DE RECUPERAÇÃO DE ANIMAIS
SILVESTRES DE LISBOA (LXCRAS) DESEMPENHA
UM PAPEL VITAL NA REABILITAÇÃO DE ANIMAIS
SELVAGENS E NA SUA REINTEGRAÇÃO NO MEIO
AMBIENTE. DESCUBRA MAIS SOBRE O PROCESSO
QUE CULMINA NA LIBERTAÇÃO DESSES ANIMAIS E
A IMPORTÂNCIA DE CELEBRAR A VIDA SELVAGEM
NO DIA MUNDIAL DO ANIMAL.

Ler Mais »
Skip to content