Campolide,

Chegou o primeiro quiosque verde de Campolide

Um dos lugares mais saudáveis de Lisboa fica em Campolide, bem no centro do Jardim da Amnistia Internacional, um dos ex-libris da nossa Freguesia, e um tesouro ainda bem escondido da nossa capital. É o quiosque Verde Lima, desde Abril a interceptar o voo dos pássaros e o passeio dos cães e seus companheiros bem no centro daquele espaço.

O quiosque é composto por uma esplanada convidativa a momentos de lazer e rodeada pelo verde das árvores, onde pode desfrutar de saudáveis sumos, saladas, tostas e de algo verdadeiramente único chamado açaí, uma fruta originária do Brasil, aqui triturada como uma pasta e usada juntamente com outras frutas.

O Verde Lima tem outros três nomes identitários: Luís Jeremias, Diogo Figueiredo e João Fonseca. Luís e Diogo, ambos com 27 anos, hoje sócios e mentores deste projecto, conheceram-se em Lisboa quando se cruzaram no mesmo espaço de trabalho. Mas nenhum dos dois é da capital. Foi um encontro a meio do caminho. Diogo vem de Viseu e Luís, de Évora. A procedência académica de ambos é igualmente diferente, e também aqui houve um harmonioso encontro a meio do caminho: se a publicidade é a área de Diogo Figueiredo (aliás, CEO da agência de comunicação e publicidade Savvy) a Educação Física é o mundo de Luís, que entretanto deixou de leccionar. Poderia haver melhor junção? A criatividade de um alia-se à filosofia da alimentação saudável de outro. O Verde Lima é assim uma ideia que se come com os olhos e se devora com a boca.

No coração do projecto está também João Fonseca, que, com apenas 23 anos, é nada menos que o gerente do quiosque. O resultado? Três empreendedores com vontade de fazer deste lugar um espaço único e de tornar o seu açaí, que vem directamente do Brasil, o melhor de Lisboa. «Este é um espaço privilegiado, central, no meio de Lisboa», diz Luís Jeremias. «Se fosse ao pé do rio, seria só mais um. Nem parece que estamos no meio da cidade, não se ouvem carros e há imenso estacionamento.»

Também Joana Seixas dá alma e corpo a este projecto. A autora da carta do quiosque, ou melhor, a criativa da cozinha, permitiu que o gosto pela culinária tomasse conta do seu dia-a-dia e deixou para trás o seu curso de comunicação. Aos 28 anos, esta viseense trabalha lado a lado com Luís, Diogo e João. As saladas, tostas e sumos são delícias concebidas por ela.

O Verde Lima tem ainda outras propostas, como nos conta Luís: «Vamos aproveitar este espaço para fazer parcerias com ginásios e termos aqui aulas gratuitas de fitness ao fim-de-semana. Já tivemos uma e vieram cerca de 150 pessoas. Para além disso, também aos fins-de-semana, instalamos na zona do anfiteatro a nossa área 'lounge', com relva sintética e um bar só para gins e cocktails, onde também há música ao vivo. E durante o campeonato europeu de futebol, vamos transmitir todos os jogos numa grande tela».

Este quiosque, que apenas encerra às segundas-feiras, oferece refeições frescas e variadas todos os dias, assim como sumos naturais, sempre diferentes, feitos exclusivamente com fruta, sem adição de água ou açúcar. «Todos os dias os sumos são diferentes, sendo um deles um detox. Já temos clientes fiéis, tanto da Freguesia como de outras partes da cidade, e desta maneira garantimos que estas pessoas tenham uma experiência nova todos os dias. Até os marchantes da marcha da Bela Flor–Campolide, que ensaiavam nos pavilhão aqui ao lado, já nos vieram visitar», conta-nos Luís. A sobremesa não foi esquecida, e aqui encontrará gelados artesanais, livres de lactose e sem glutén.

O quiosque Verde Lima instituiu também um sistema de cartões de refeição para as empresas, onde a décima refeição é oferecida.

Em suma: «Cada vez mais é precisa uma boa alimentação e temos notado que as pessoas aderem. Esta alimentação pode satisfazer os gostos de toda a gente», remata Luís. Campolide ganhou um espaço do presente do futuro!

O portal da JFC utiliza cookies de rastreamento anónimo para melhorar a interacção com o Utilizador. Ao continuar a navegação, está a concordar com o uso de cookies.